Transformados para transformar

Autor: João Chrysostomo Junior
Você é muito mais querido do que imagina. Deus é a fonte perfeita de amor, “ele é teu pai, que te adquiriu, te fez e te estabeleceu”. Dt 32:6. Se você ainda não é filho, pode tornar-se hoje. Deus pode, quer recebê-lo e isso é urgente para ele. E Deus tem muito para lhe dar e dar aos outros através de você.
Dois presentes: O evangelho e a palavra. Paulo disse: “Não me envergonho do evangelho, porque é o poder de Deus para a salvação de todo aquele que crê”. Rm 1:16. E o autor da Carta aos Hebreus declara que “a palavra de Deus é viva, e eficaz, e mais cortante do que qualquer espada de dois gumes”. Hb 4:12. Aqui recebemos o evangelho poderoso e a palavra viva. Para que estes presentes? Não são para guardar. São de Deus, para serem levados ao mundo. Somos portadores. Como estes presentes podem e devem ser transmitidos? Paulo nos diz como em sua própria experiência.
Gratidão pela força. Ele tinha um passado, como todos nós temos. Só que entre nós há pessoas que tem um bom passado. Este não foi o caso do apóstolo. Ele disse que no passado ele “era blasfemo, e perseguidor, e insolente” (ofensivamente desrespeitoso). Mas ele está agradecendo a Deus a sua transformação: “Sou grato para com aquele que me fortaleceu, Cristo Jesus”. E ele reconhece que o que fez de mal foi no tempo da ignorância, por isso recebeu misericórdia. Quanta coisa ruim você fez em seu passado. Alguns entre nós, por vergonha do passado se calam. Temos que ter equilíbrio entre o que contar e o que omitir. “Porque o que eles fazem em oculto, o só referir é vergonha”. Ef 5:12. Há fatos vergonhosos a omitir. “Muitos dos que creram vieram confessando e denunciando publicamente as suas próprias obras”. At 19:18. Há fatos que devem ser publicados. Deus dará o equilíbrio.
Gratidão pela graça, fé e amor (concedidas ao pior dos pecadores). Que coisa fantástica saber que os dons, ou dádivas de Deus são transbordantes, multiplicadores, e extravasam. Para Paulo, como deve ser para todos e cada um de nós, há uma celebração pelo que Deus deu: “Transbordou, porém, a graça de nosso Senhor com a fé e o amor que há em Cristo Jesus. Fiel é a palavra e digna de toda aceitação: que Cristo Jesus veio ao mundo para salvar os pecadores, dos quais eu sou o principal”. 1Tm 1:14. Você tem “vibrado” de gratidão pelo que o Senhor fez em sua vida?
Gratidão por ter sido feito modelo. Quando falamos de pessoas e pensamos em modelo, e pensando em crente e em fé, todos nós recuamos. Colocamos Paulo como um ser extraordinário, quase extraterrestre. Apesar de ser um cristão excelente, ele não está falando de suas qualidades positivas de crente, mas de suas qualidades negativas de sua vida anterior à sua conversão. Não está escondendo seu passado, está abrindo. O modelo aqui não é de um excelente cristão, mas de um grande pecador transformado pela transbordante graça de Deus. O holofote aqui não está em Paulo, mas no Deus gracioso, perdoador, transformador, que cheio de amor toma um “blasfemo, perseguidor e insolente”, joga-o no chão, cega-o, revela-se a ele, fazendo dele aquele que ia para Damasco prender cristãos o maior pregador do evangelho. Nas suas próprias palavras, o que ele sabia que se dizia a seu respeito: “Aquele que, antes, nos perseguia, agora, prega a fé que, outrora, procurava destruir”. Gl 1:23 16 Por isso ele diz: “me foi concedida misericórdia, para que, em mim, o principal, evidenciasse Jesus Cristo a sua completa longanimidade, e servisse eu de modelo a quantos hão de crer nele para a vida eterna. Assim, ao Rei eterno, imortal, invisível, Deus único, honra e glória pelos séculos dos séculos. Amém! A glória é para Deus. O que ele fez para transformar a mim e a você, foi para que outros vejam e pensem: se teve salvação para ele ou ela, também pode ter para mim. Também é uma revelação para nós sabermos que para Deus não há pessoas difíceis. Toda glória é para Deus.

Compartilhe a BênçãoShare on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someonePrint this page

Contribua com sua opinião