Tradução da Bíblia – O grande desafio

Autor: Jackson Santos

Lingüistas, antropólogos e missiólogos, comprometidos com a ordem de Jesus de evangelizar o mundo, iniciaram, no ano passado, um movimento com o objetivo de viabilizar a tradução da Bíblia para todas as línguas do Planeta. O plano foi denominado VISÃO 20-25 e tem como meta iniciar um programa para a tradução das Escrituras em todas as línguas que ainda não a possuem até o ano 2.025. É um projeto ousado, que enfrentará diversos desafios.

Várias organizações missionárias já aderiram o projeto. No Brasil a AMTB – Associação de Missões Transculturais Brasileira abraçou a idéia de conduzir o processo de divulgação nos diversos seguimentos evangélicos. A ALEM – Associação Lingüística Evangélica Missionária com sede em Brasília está empregando todos os esforços para que a Igreja Brasileira conheça e se envolva no processo de colocar um programa de tradução das escrituras nas 3.000 línguas que ainda não conhecem nada do maravilhoso plano de salvação de Deus.

O envolvimento da igreja brasileira é fundamental pois, um povo que não tem a Bíblia na sua própria língua não têm condições de crescer espiritualmente. Martinho Lutero, o notável reformador alemão, reconheceu a necessidade de colocar a Bíblia nas mãos do povo e por este motivo fez uma tradução das Escrituras Sagradas para a língua alemã que atingiu perto de 100.000 cópias, um feito extraordinário, para as condições de impressão da época. Posteriormente outras línguas européias tiveram a bênção de ter também o exemplar da Bíblia.

Calcula-se que haja na Terra 6.809 línguas faladas. A Bíblia completa já foi traduzida para apenas 366 dessas línguas. O Novo Testamento já foi traduzido para 1.012 e pelo menos um livro da Bíblia já foi traduzido para outras 883 línguas.A soma desses três números revela que 2.261 línguas têm pelo menos uma porção das Escrituras. Estima-se que haja cerca de 3.000 línguas com necessidade de tradução bíblica.

Isso significa que o número de pessoas ainda sem nenhum livro da Bíblia traduzido é de aproximadamente 250 milhões. A maior parte desses 3.000 grupos étnicos desprovidos da Palavra de Deus está na Ásia, especialmente na Índia, China, Nepal e Bangladesh. São 1.200 línguas.Depois vem a África Ocidental, a metade nos países que foram colonizados pela França e a outra metade na Nigéria. São pelo menos 1.000 línguas.

Em terceiro lugar, vêm as ilhas do Pacífico, especialmente em Papua-Nova Guiné e na Indonésia onde estão 600 línguas. Por último vem o Oriente Médio, cuja religião predominante é o islamismo. São 150 línguas. Papua-Nova Guiné é um caso muito especial. Embora a língua oficial desse país da Oceania seja o inglês (por causa da colonização britânica), ali se falam mais de 800 línguas. Trata-se de uma nação pequena em área (menor que o Estado da Bahia) e em população (1 milhão a menos que a população da cidade do Rio de Janeiro).

Fica ao norte da Austrália e é um dos países de maior porcentagem de cristãos: 33% de católicos e 65% de protestantes (98% ao todo). No presente momento, os tradutores da Bíblia estão trabalhando com 1.500 traduções ao redor do globo. Se o ritmo presente for mantido, a tradução da Bíblia para as outras 3.000 línguas estará em processo somente no ano 2150!

A Visão 20-25 tem por objetivo reduzir esse tempo em pelo menos 125 anos. Assim, até ano 2025, todas os povos que ainda não têm a Bíblia em sua língua terão pelo menos algumas traduções iniciadas na língua que lhes fala ao coração.

miapibr@uol.com.br

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*