Reconheceremos nossos irmãos(ãs) no céu?

“Quando o crente chegar ao Céu irá re­conhecer parentes e irmãos em Cristo?”
Naturalmente que sim. Dentre muitos outros textos que afirmam esta verdade, citaremos: “Digo-vos que muitos virão do Oriente e do Ocidente e tomarão lugar à mesa, com Abraão, Isaque e Jacó no reino, dos céus” (Mt 8.11); “E eis que lhes apareceram Moisés e Elias, falando com Ele” (Mt 17.3); “E quanto à ressurreição dos mortos, não tendes lido o que Deus vos de­clarou: Eu sou o Deus de Abraão, o Deus de Isaque e o Deus de Jacó; Ele não é Deus de mortos, e, sim, de vivos”, Mt 22.31-33. “No Hades ergueu os olhos, estando em tormentos, e viu ao longe Abraão e Lázaro no seu seio”, Lc 16.23.
Abraão, Isaque e Ja­có estarão em pessoa no reino dos céus e serão por nós reconhecidos. Moisés e Elias foram reconhecidos no monte da transfigu­ração pelos apóstolos. Deus não é Deus de mortos, mas de vivos, o que indica que es­taremos no Céu em nossos corpos glorificados. Ressurreição significa reviver o mes­mo corpo, embora glorificado. O rico reco­nheceu Abraão e Lázaro.
Se não nos reconhecêssemos no Céu, isto seria para nós contraproducente, pois o que almejamos é vermo-nos na Glória. Se no Céu houvesse inconsciência do passado, parece-nos que pouco adiantaria estar ali. O grandioso, o sublime é estarmos ali conhecendo o plano de Deus e vendo o cumprimento dele. Lá, sem dúvida, haveremos de conhecer em pessoa todos os heróis da fé que hoje co­nhecemos pela Bíblia. Lá veremos os nos­sos irmãos junto aos quais lutamos neste mundo a boa peleja da fé.

Escrito por Marquês Santos

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*