Pregadores de um tema só

a pregacao da palavra de deus.

Segundo estatísticas a Bíblia, na tradução de Almeida Revista e Corrigida, contém cerca de 3.566.480 letras, que constituem 773.692 palavras, 1189 capítulos, 31.102 versículos em 66 livros, sendo 39 no Antigo Testamento e 27 no Novo Testamento.

Ou seja, tem assunto que dá para pregar anos a fio sem repetir o texto.

Todavia, alguns pregadores(as) insistem em pregar apenas aquilo que gostam ou que são mais atraentes ao público. Não adianta nada abrir a Bíblia em Gênesis, Salmos ou Romanos que o sermão é basicamente o mesmo. A pessoa dá um jeito de fazer o texto dizer o que ela já planejou que pregaria.

Tem sujeito que encasqueta com a segunda vinda de Cristo, com a santificação, ou com missões, ou ainda com família e casamento. Tudo vai cansando o auditório e com o agravante que não há crescimento no conhecimento bíblico-teológico.

Que diferença ver a agenda de pregação do Apóstolo Paulo! Quando ele reune os presbíteros da cidade de Éfeso para despedir-se deles, ele diz: “… nunca deixei de vos anunciar todo o conselho de Deus” (Atos 20:27).Conselho aqui significa propósito e também vontade de Deus.

Assim sendo, se faz necessário que os pregadores comecem a devotar mais tempo para o preparo da mensagem, pois somente o preparo fará com que se deixe de pregar apenas o que gosta ou que tem mais facilidade de falar.

1. Elabore séries de mensagens, sejam elas temáticas ou de livros da Bíblia.
2. Veja os temas da teologia sistemática e pregue sobre os mesmos. Por exemplo: os atributos de Deus.
3. Leia os jornais de sua cidade e veja o que as Escrituras ensinam sobre as coisas que acontecem no dia a dia das pessoas.
4. Ouça musicas e tire ideias para sermões.
5. Peça que os membros da igreja sugiram textos ou temas para você pregar.
6. Peça orientação de Deus sobre o que pregar.

Tenho certeza que em breve você estará pregando mensagens mais inspiradoras e desafiadoras. Você ficará surpreso em ver o crescimento da sua igreja.

É hora de atualizarmos nossos temas, nossas pregações.

ANTONIO CARLOS BARRO
Professor da Faculdade Teológica Sul Americana

1 Comentário

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*