Nosso relacionamento com Deus

nosso relacionamento com Deus
nosso relacionamento com Deus

Nosso relacionamento com Deus

“Portanto, também nós, uma vez que estamos rodeados por tão grande nuvem de testemunhas, livremo-nos de tudo o que nos atrapalha e do pecado que nos envolve e corramos com perseverança a corrida que nos é proposta,”

Hebreus 12:1

Quando um motorista está dirigindo, é necessário que ele fique sempre atento. Ele quer chegar a algum lugar, e, para fazer isso, não pode ficar se distraindo com as coisas em seu entorno, por mais atrativas que elas possam ser. Ao se distrair, o risco de errar e se desviar é muito maior. É preciso deixar de lado tudo o que pode atrapalhá-lo na missão de chegar a seu destino.

É exatamente assim no nosso relacionamento com Deus.

Temos um alvo, um objetivo, e ele é Cristo. São inúmeras as distrações ao longo da caminhada, e precisamos ter sabedoria para que elas não sejam os motivos do nosso desvio. Vamos errar, sim, mas isso não quer dizer que Deus não nos dá a oportunidade de retomarmos o nosso caminho em direção ao nosso alvo – essa oportunidade se chama perdão.

Diante disso, vale muito a pena pensar no seguinte: o que tem nos atrapalhado no nosso relacionamento com Deus? O que tem sido gatilho para que sejamos tentados e pequemos? O que tem nos influenciado? O que tem sido motivo para investirmos nosso tempo e deixar de passar mais tempo na presença de Deus?

Para todas essas perguntas, as respostas podem ser as mais variadas: uma série de TV, um namorado ou namorada, um vício, um livro, um trabalho, um objetivo, ou qualquer outra coisa. PRECISAMOS pedir sabedoria a Deus para que consigamos identificar quais são as coisas que precisamos deixar de lado, porque têm nos atrapalhado na nossa caminhada com Cristo.

Sim, é muito difícil abandonar certas coisas, mas temos que ter em mente que, a partir do momento que algo começa a influenciar negativamente o nosso relacionamento com Jesus, essa coisa já não nos serve mais, não importa o quanto achemos que ela é importante. Se Jesus é o nosso foco, não é bom que fiquemos distraídos com outros focos de atenção ou que nos desviemos por causa de outros elementos ao longo da caminhada.

Jesus é certamente mais importante do que coisas que nos destroem muito mais do que servem para nos entreter. Não existe prazer nem satisfação maior do que andar nos caminhos de Deus. Já é hora de reconhecer o que nos afasta dele.

Gabriel Ribeiro Rosa

Estudante de Medicina

Visite o site www.sermao.com.br

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*