Então fica assim…

pastores e mercenarios

Jesus, que era sabido, sacou logo qual é a do safado que se faz passar por pastor. No evangelho de João (cap. 10) ele faz algumas observações que são supimpas. O espaço aqui até que daria para escrever mais, mas como pode engasgar alguns, faço apenas alguns rabiscos.
“O mercenário, que não é pastor” diz Jesus. Essa pessoa era contratada para tomar conta das ovelhas, todavia, ela trabalhava apenas pelo dinheiro e não tinha nenhum amor pelas ovelhas que pertenciam a outro pastor, por isso, a ênfase “não é pastor”. Esse não é enfático, definitivo. Ou seja, NÃO é pastor. Para ajudar a entender vem a expressão: “a quem não pertencem as ovelhas”.
No texto o que distingui o pastor do mercenário é o perigo. Diante do perigo que ronda as ovelhas, o pastor cuida e o mercenário foge. O lobo é importante na história. Ele revela a real natureza do mercenário.
O mercenários modernos são sofisticados. Eles continuam deixando as ovelhas ao perigo. Tão somente fazem isso de maneira sofisticada, usando palavras melosas e chavões evangélicos de tal forma que as ovelhas além da falta de cuidado, ainda se sentem culpadas pelas mordidas dos lobos.
Dê uma espiada se você está no aprisco certo. Se estiver no errado, você serve apenas para uma coisa: prover.
Fica ai numa boa e não abre o olho para ver o que vai acontecer com sua lã e tenra carne!
Está confuso o texto? É verdade que muitas vezes eu não me faço compreender.
ACBarro

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*