É possível ser feliz?

Autor: Antonio Carlos Barro
Essa é uma pergunta costumeira e as respostas são as mais variadas. Como definir precisamente uma coisa tão abstrata como a felicidade? Vejamos algumas definições:
1. É difícil dizer o que é, mas sei quando eu a vejo. É simplesmente se sentir bem. Daniel Gilbert
2. A verdadeira felicidade está na própria casa, entre as alegrias da família. Tolstoi
3. Ser feliz sem motivo é a mais autêntica forma de felicidade. Carlos Drummond de Andrade
4. Não existe um caminho para a felicidade. A felicidade é o caminho. Mahatma Gandhi
5. Saber encontrar a alegria na alegria dos outros, é o segredo da felicidade. Georges Bernanos
6. A amizade desenvolve a felicidade e reduz o sofrimento, duplicando a nossa alegria e dividindo a nossa dor. Joseph Addison
7. O dinheiro não traz felicidade — para quem não sabe o que fazer com ele. Machado de Assis
8. Felicidade é a certeza de que a nossa vida não está se passando inutilmente. Érico Veríssimo
9. A amizade é uma predisposição recíproca que torna dois seres igualmente ciosos da felicidade um do outro. Platão
10. A nossa felicidade depende mais do que temos nas nossas cabeças, do que nos nossos bolsos. Arthur Schopenhauer
11. O bom humor espalha mais felicidade que todas as riquezas do mundo. Vem do hábito de olhar para as coisas com esperança e de esperar o melhor e não o pior. Alfred Montapert
12. Na plenitude da felicidade, cada dia é uma vida inteira. Johann Goethe
13. A felicidade é um problema individual. Aqui, nenhum conselho é válido. Cada um deve procurar, por si, tornar-se feliz. Sigmund Freud
14. As idéias das pessoas são pedaços da sua felicidade. William Shakespeare
15. A felicidade de um amigo deleita-nos. Enriquece-nos. Não nos tira nada. Caso a amizade sofra com isso, é porque não existe. Jean Cocteau
16. A suprema felicidade da vida é ter a convicção de que somos amados. Victor Hugo
A definição que eu mais gosto é essa: “A alegria de fazer o bem é a única felicidade verdadeira”. Léon Tolstoi. É a definição que mais se aproxima daquilo que Jesus Cristo ensinou ser a felicidade quando disse: “Mais bem-aventurada coisa é dar do que receber” (Atos 20.35). Jesus indica aqui não somente o caráter da pessoa, mas principalmente a sua natureza. Se somos filhos de Deus, temos uma natureza inclinada para a doação modelada no próprio Jesus que doa sua vida por nós.
Numa sociedade global onde o acúmulo é visto como sinal de sucesso ou de bênção divina (entre os crentes) fica cada vez mais difícil ser feliz. O cristão vai elevando o seu padrão de vida na medida em que acumula mais recursos, acumulando mais recursos sobe outra vez seu padrão. Esse processo não tem fim.
Por isso, estamos experimentando algo interessante no meio das nossas igrejas. Por um lado temos aqueles nada possuem, mas fazem um esforço enorme para doar para a causa do Reino; de outro lado temos os ricos das classes A e B que ofertam bem pouco. O rico pensa em termos absolutos, qual seja: doar mil reais é um absurdo. Não leva ele em consideração que esse valor em proporção ao seu ganho não é quase nada. Quando o pobre faz uma oferta de cinqüenta reais, isso muitas vezes representa até 15% do seu salário.
Mais uma vez lembramos Jesus quando solenemente avisa: “É mais fácil um camelo passar pelo fundo de uma agulha, do que entrar um rico no reino de Deus” (Marcos 10.35). Eu sei que nas nossas pregações água com açúcar não vamos aprofundar nesse tema porque esses ricos vão ficar chateados. Pastores nutrem sempre uma pontinha de esperança que um rico ainda vai entender o que é o Reino e investir na obra de Deus.
Enquanto esse dia não chega e pode ser que não chegue nunca, vamos nós ser felizes!

Visite meu blog www.coisado.com

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*