Conheça O Deus Que Habita No Homem (Estudo sobre o Espírito Santo)

Autor: MOISÉS CARNEIRO
O ESPÍRITO SANTO

Introdução

Bem, falar da pessoa e obra do Espírito Santo é uma tarefa muito difícil. Mesmo aqueles que uma vez já o recebeu sentem essa dificuldade. Porém é um assunto maravilhoso, que traz aos leitores um desejo maior de entregarem suas vidas para serem cheios dEsse Espírito. Nós cristãos sabemos que vivemos num mundo espiritual onde lutamos constantemente contra os poderes espirituais da maldade (Ef 6.12). São os nossos adversários, o próprio diabo e seus súditos. Essa fascinante batalha exige que vivamos uma íntima relação de comunhão com o Espírito de Deus. Portanto nós devemos buscar esse revestimento através da Consagração: oração e leitura da palavra do Senhor, afim de que conheçamos de perto este Poder e o resultado disso será a nossa vitória contra nos nossos adversários.
Esse Estudo Sistematizado vai ajudar você conhecer melhor o Espírito de Deus, como : sua personalidade; símbolos; ministério; fruto; dons, etc.
Por que devemos conhecer o Espírito Santo? É, ou não é, importante conhecê-lo? Sim, é necessário conhecer ao Espírito Santo. Porque Ele é tão importante quanto o Pai e o Filho. É o próprio Deus. É o Deus que atua sobrenaturalmente em nós e no Universo de uma maneira invisível, oculta, para proclamar o nome do Filho de Deus Pai (Jo. 15.26). E tornar a Igreja semelhante a Ele Jesus o Cristo Ressurecto.

“E eu rogarei ao Pai e ele vos dará outro Consolador, para que esteja sempre convosco”. (Jo 14.16)

A NATUREZA DO ESPÍRITO SANTO

NOMES DO ESPÍRITO SANTO

O Espírito de Deus: ( Gn.1.2; 1Sm. 10.10; Mt 3.16; Rm. 8.9 ) esse nome dado ao Espírito Santo, é o que mais o identifica como participante da Divindade.
Não seria difícil descrever a divindade do Pai ou a do Filho, mas quando pensamos em formar um conceito definido e verdadeiro do Espírito Santo, confessamos Ter algumas dificuldades. Por quê ?
Existem duas razões para essa teologia:

a- No relato das escrituras, o Espírito Santo opera invisivelmente. São operações que os olhos humanos não podem ver.

b- A segunda razão, é porque o Espírito Santo não fala de si mesmo.

Você crê no Espírito Santo como uma pessoa ?
Para muitas pessoas como a Sr.ª. Mary Baker (Fundadora da Seita Ciência Cristã), o Espírito Santo, é uma Ciência Divina; já para outras, Ele é simplesmente uma força que atua no Universo, enfim, um ser impessoal. Contudo, as Escrituras descreve de uma maneira plena quanto a sua personalidade.

Provas de que o Espírito Santo é uma pessoa:

Ele pensa; (Rm8.27)
Ele sente; (Rm15.30)
Determina; (1Co12.11 )
Revela; (2Pe1.21)
Clama; (Gá4.6)
Entristece-se; (Ef4.31)
Fala; (Ap2.7)

Portanto, devemos honrá-lo como uma pessoa. Uma pessoa que independe de Deus. Porque age distintamente do Pai e do Filho.

Diz Myer Pearlman : “o Espírito Santo é uma pessoa distinta e separada de Deus … Ele sempre representa o único Deus que opera nas esferas dos pensamentos, da vontade, da atividade. O fato de o Espírito Santo ser um com o Pai e ao mesmo tempo ser diferente de Deus, é parte do grande mistério da Trindade”.

Espírito Consolador: (Jo14.16; 17.6) A palavra “consolador”, significa no grego “parácleto”, que condiz com o mesmo que “alguém separado para ajudar, dar assistência a outrem em qualquer que seja a circunstância”. Já no latim, a palavra “parácleto” se conhecia como “advocatus”. nome esse que era dado aos amigos que compartilhavam e auxiliavam no julgamento dos réus na antigüidade. E foi isso realmente, que o Senhor Jesus quis passar para a mente de seus discípulos, quando disse : “Eu rogarei ao Pai e ele vos dará outro Consolador”. Estava dizendo que enviaria alguém que lhes ajudaria em suas causas, que daria “assistência” em todas as necessidades de suas vidas. E estaria com eles para sempre.
Na história da igreja primitiva (livro de Atos), vemos como o Espírito Santo atuou maravilhosamente. Derramando sobre ela a virtude para pregar o evangelho aos homens; orientando-a; guardando-a em todos os momentos, principalmente em meio às perseguições. E de lá até aqui, o mesmo Espírito continua atuando sobre a igreja. Portanto, se você faz parte do corpo de Cristo, saiba que Ele está contigo, para advogar sua causa. E lhe dar assistência em todo o tempo.

Espírito da Verdade: (Jo14.17; 15.26) Esse é dado ao Espírito Santo, por ser Ele quem testifica e revela o Filho do Homem ao mundo. Ele fala a respeito das palavras e da vida de Jesus Cristo. E não fala de si mesmo.
O Espírito da Verdade é uma expressão que comporta em si um significado apreciativo de seu tratamento em relação ao Senhor Jesus. Por isso, quando se diz “Espírito da Verdade”, é o mesmo que dizer “Espírito que testifica a Verdade”.
Jesus disse: “Eu sou o caminho, a verdade, e a vida”(Jo14.6). Em outro verso disse ainda : “O Espírito da Verdade que procede do Pai, ele testificará de mim” (Jo15.26). Então, a Verdade que o Espírito testifica é o próprio Jesus.

Espírito de Adoção: (Rm8.15-16) Todo homem que recebe a Jesus como seu Salvador, torna-se participante da família divina ( Jo1.12 ). Um filho por adoção em Jesus. E o Espírito Santo atua decisivamente como uma testemunha disso no homem, ou melhor no interior do homem.

“O mesmo Espírito, testifica com o nosso espírito que somos filhos de Deus”. (Rm8.11)

Espírito da Promessa: (Ef1.13). O Senhor Deus, através do profeta Isaías (Is44.3), Joel (Joel2.28), e outros, predisse a Israel um futuro derramamento do Espírito sobre toda a carne. Com isso, dá-se esse nome ao Espírito Santo, por ser prometido pelo Pai na Antiga Aliança. Uma Promessa que foi reivindicada pelo Salvador. E teve seu cumprimento parcial no Dia de Pentecostes (At2.1-4). E continua se cumprindo na Igreja.

Espírito Santo: (Atos 5.3; Rm1.4). Esse nome é dado ao Espírito, porque Ele é Santo, … é Deus, … e Deus é Santo (Lv 20.26). Sua obra no homem baseia-se na santificação.
O Espírito de Deus é Santo, e veio a santificar os filhos de Deus de forma processual, trabalhando na personalidade do ser, separando-os plenamente da força do pecado, e das contaminações que estão sobre este mundo.
O processo da santificação, em relação ao tempo, é de acordo com a natureza de cada indivíduo. Uns, alcançam rapidamente uma estatura de santidade, que é louvável; já outros, às vezes, demoram um pouco mais. É um processo que faz com que todos os servos do Senhor alcancem uma estatura de varão perfeito.

SÍMBOLOS DO ESPÍRITO SANTO

Água: (Ez 36.25-26; Is 44.3; Jo 3.5). O Espírito Santo é uma Cisterna de água viva. É a água que lava e purifica, santificando e saciando o pecador. É a água viva, porque se distingue da água natural, uma vez que esta pode ser detida, e contaminada por sua inertibilidade. Mas, o Espírito Santo, … a Água Viva, está sempre correndo e saltando, e por onde quer que passa, produz vida.

Óleo / Azeite: (Sl 45.7). Um símbolo freqüentemente usado para comparar o Espírito é o óleo (azeite). A sua utilização pelo povo Hebreu, na Antiga Aliança, dava consagração nos rituais que eram realizados. Por exemplo, a consagração dos Sacerdotes; dos objetos que faziam parte do Tabernáculo construído por Moisés, etc. Essa consagração, na verdade, nada mais é do que uma separação para o Serviço do Senhor que era feita simbolicamente através do óleo (azeite). O Espírito Santo, é o Óleo, que quer tornar sua vida consagrada (separada) e qualificada, para um ministério aprovado.

Fogo: (Ex 13.21; Is 4.4; Ml 3.2; Mt 3.11). O fogo nos traz em seu significado, uma idéia de purificação. É o fogo do Espírito que penetra no interior dos servos de Deus consumindo os pequenos resíduos, que se atrofiam diariamente na alma, como: tristeza, amargura de espírito, rancor, ódio, etc. Esse Fogo queima, e dá uma vida de vitória para os que recebem; faz do seu portador um vencedor sobre esses ressentimentos que provém de uma vida amarga. E produz uma vida de perfeito e agradável louvor ao Senhor.

Pomba: (Mt 3.16; 10.32). Pomba é a forma comparativa de qualificação que pode ser dado a uma pessoa ou um ser.
Pomba indica:
simplicidade,
doçura,
amabilidade,
paz,
pureza,
brandura,
sensibilidade.
Jesus advertiu os fariseu, há que não proferissem palavras de blasfêmias contra o Espírito Santo, devido a Sua Sensibilidade.

Selo: (Ef 1.13; 2Tm 2.19). O selo fala de possessão. Fala que o Senhor nos comprou com seu sangue e nos selou com o doce Espírito Santo. Então, somos propriedade exclusiva de Deus. Esse selo não tem que ver com o batismo no Espírito Santo, baseado no falar em línguas. Esse selo , indica a Sua atuação ( moradia ) na vida do homem que crê em Jesus. Também fala de uma garantia de herança celestial.

Vento: (Ez 37.7-10; Atos 2.2). O vento indica uma espontânea regeneração. Imagine uma árvore com muitas folhas, umas verdes e outras secas. Logo, um vento assoprando fortemente sobre ela. Você deve Ter concluído que …, você acertou ! Só restaram as folhas verdes (com vidas). As secas não possuíam mais em si nenhum valor para aquela árvore, então, o vento as deslocou daquela árvore. Assim também opera o Vento do Espírito, o vento Regenerador. O Seu assoprar sobre o homem (árvore), limpa-o, purifica-o, tira o que não presta, e o torna perfeito para Deus.

MINISTÉRIO DO ESPÍRITO SANTO

O ministério do Espírito Santo se baseia na plena atuação da Sua Pessoa sobre a vida da Comunidade (Igreja)administrando os filhos de Deus pelos seus dons, poder, graça, etc. Esse ministério teve seu início no Dia de Pentecostes, quando da efusão ( derramamento ), do Espírito. Devendo continuar até o dia da Vinda de nosso Salvador Jesus Cristo.

O Espírito no Antigo Testamento

É importante lembrar que o Espírito Santo, também atuou na Criação do Universo (Gn.1.2). Diz o texto que, Ele pairava sobre a face das águas, participando em comum com o Pai e o Filho na Criação de todo o Universo. Atuou também na formação do homem. (Gn1.26).
Após a criação do homem, o Espírito passou a se manifestar na vida humana, em acordo com a necessidade do serviço divino. Não era dado como na efusão. Era dado de uma maneira transitória e específica, que inspirava os santos de Deus para revelar e transmitir uma mensagem divina.

Homens inspirados pelo Espírito Santo no Antigo Testamento:

Moisés (Núm. 11.16-17)
Josué (Núm. 27.8-21)
José (Gêneses). 41.38-40)
Otoniel (Jz 3.9-10)
Bezaleel (Ex 35.30-31)
Gideão (Jz 6.34)
Jefté (Jz 11.29)
Sansão (Jz 13.24-25)
Davi (1Sm. 16.13)
Jaaziel (2Crô. 20.14)

A Promessa

O Espírito Santo foi prometido ao povo de Deus (Israel) na Antiga Aliança. Deus consolou seu povo dizendo que nos últimos dias, derramaria do Seu Espírito sobre toda a carne (Joel 2.28-31). E de fato esse acontecimento se deu no Dia de Pentecostes (Atos 2.1-5).

O Espírito Santo em Cristo

Devido à importância da vida de Jesus e o cumprimento das profecias feitas no Antigo Testamento com relação a sua Obra. Não a poderia fazer sem a atuação do Espírito Santo sobre sua vida.

Nascimento: (Mt 1.18-20; Lc 1.35)
A misteriosa encarnação de Deus entre os homens, se deu pela obra milagrosa do Espírito Santo. Jesus foi concebido no ventre de Maria, pelo poder do Espírito do Altíssimo (Mt 1.18).

Infância: (Lc 2.39-40 )
Jesus foi criado como uma criança normal. Mas seus pais, José e Maria, sabiam de Sua Missão, e viam o diferente dos demais.

O menino Jesus com certeza aprendeu a ler, e escrever na sinagoga na cidade de Nazaré. Sua sabedoria não se baseou somente nos ensinos humanos, mas principalmente do que o Espírito lhe ensinava. O texto de Lucas 2.40 diz “e o menino crescia e se fortalecia em espírito, cheio de sabedoria, e a graça de Deus estava sobre ele”.

Nota.
Prova de que Jesus:
sabia ler. ( 4.16-20)
sabia escrever. (Jo 8.6)

Batismo: (Mt 3.13-17; Lc. 3.21-22)
O batismo de Jesus marcou o início de seu ministério. Começou, então, a Ter em sua vida uma nova relação com o Espírito Santo. “E o Espírito Santo desceu sobre ele em forma corpórea de pomba”(Lc 3.22). Jesus estava recebendo a unção para o ministério. Isto era uma indicação de que seus passos seriam iluminados, sua vida seria guiada e amparada pelo Espírito de Deus até completar a sua Obra.

Ministério: (Lc 4.18)
O ministério de Jesus foi marcado com o poder do Espírito Santo.
Ele foi levado ao deserto pelo Espírito (Mt 4.1), depois de ter vencido as tentações, começou a ensinar, pregar o Reino de Deus, e a curar todos os que estavam enfermos (Mt. 4.23). Cumprindo o que disse o profeta Isaías (Is 60.1): “O Espírito do Senhor está sobre mim, porque o Senhor me ungiu para pregar boas novas aos quebrantados de coração, a proclamar liberdade aos cativos, e pôr em liberdade os algemados, e apregoar o ano aceitável do Senhor”.

Morte: (Hb 9.14)
Diz Myer Pearlman: “O mesmo Espírito que levou a Jesus para ser tentado no deserto e o guardou ali, também lhe deu força para chegar até a Cruz e cumpriu o seu ministério”. Glória a Deus!

Ressurreição: (Rm1.4)
O Espírito Santo foi o agente vivificante na ressurreição de Cristo.
Após sua ressurreição, Jesus apareceu aos discípulos, ordenando a eles o Espírito Santo (Jo 20.22). Isso foi uma pré-figuração do que haveria de se proceder no Pentecostes. Contudo, estava abençoando-os com o “Espírito vivificante”. o Espírito que dá vida aos mortos. E que segundo a presciência de Deus o Pai, foi o promotor da ressurreição de Jesus Cristo.

Ascensão: (Atos 1.5-11)
A ascensão de Jesus foi o ponto de partida para o cumprimento da promessa do Espírito Santo (Joel 2.28), também marcou o final do ministério terreno de Jesus para o início da atuação do Espírito sobre a igreja e o Mundo. Na ascensão, o Espírito concluiu seu ministério em Jesus, e iniciou sobre a igreja (o corpo de Cristo).

O Espírito Santo na Igreja

O início da igreja como organismo vivo deu-se no Dia de Pentecostes, com a efusão do Espírito Santo (Atos 2.1-4), marcando o cumprimento parcial da antiga promessa feita em “Joel 2.28-31″. E também de uma nova Dispensação, a “dispensação da graça”. A partir dali, a igreja estava capacitada para pregar o Evangelho começando por Jerusalém, … até os confins da Terra (Atos 1.8).
Vemos que o inicio da igreja foi marcado com um grande milagre, pela atuação única do Espírito Santo. Quando o apóstolo Pedro, ao deu seu discurso sobre o cumprimento das antigas profecias feitas por Deus no Antigo Testamento, depois de ter recebido esse “poder”. Viu uma grande conversão de almas, quase três mil. Esse “poder”, fazia a igreja crescer muito naqueles dias. Somente pela atuação do Espírito de Deus é que a igreja pode crescer plenamente.

O Espírito Santo opera na igreja da seguinte forma:

Na obra de Missões;
No Ministério da Pregação,
Na Oração.

Grandes verdades:

¨ A igreja primitiva nasceu no Poder do Espírito (Atos 2.1-4).
¨ O Espírito Santo habitava naquela igreja (Atos 9.3; Ef 2.22).
¨ O âmago do batismo com Espírito Santo, é o recebimento de Poder (Atos 1.8; 4.34; 1Tess. 1.5).
¨ Se a igreja viver sob a direção do Espírito Santo, poderá então manter o despertamento e a doutrina inalteráveis.
¨ Somente com a renovação contínua, a igreja poderá se manter cheia do Espírito Santo (2Co. 4.16).

O Espírito Santo na Experiência Humana

Convicção: Jesus disse “E quando ele vier, convencerá o mundo do pecado, da justiça, e do juízo”(Jo 16.8). Como pode o homem se justificar diante de seu Criador? É impossível que ele realize isso por si próprio. Pois as obras, na verdade, é quem fazem separação entre Deus e os homens. Porém o pecador que recebe a “assistência” do Espírito Santo, pode alcançar a sua adoção de filho pelo processo da Salvação. Conversão significa, “voltar em direção oposta”. O pecador está em direção ao abismo, e sempre pecando contra Deus, mas o Espírito com o Seu poder o incita para o “Caminho Perfeito”, Jesus Cristo. Pois Ele, o Espírito Santo, é persuasivo para fazer o mais vil pecador se arrepender de seus pecados.

a) Pecado: “por muito grande e perigoso que seja o pecado, tal é a ignorância dos homens ao seu respeito que sua criminalidade é inteiramente desconhecida, …até que seja esclarecida pela influência do Espírito Santo, o Consolador. A consciência poderá convencer os homens dos pecados comuns, mas nuca do pecado da incredulidade. Jamais homem algum foi convencido da enormidade desse pecado, a não ser pelo próprio Espírito Santo”.

b) Justiça: Todos sabem, como foi de maneira humilhante e escarnecedora que os judeus mataram a Jesus. Consideraram-no um malfeitor, um impostor da lei. Mas agora, quando foi derramado o Espírito Santo no Dia de pentecostes, o poder que veio sobre aqueles irmãos (quase 120), e a ocorrência de muitos milagres que eram realizados em Seu nome. Vendo tudo isso, muitos se convenceram quanto ao que ele havia falado e feito em sua vida. E também de que Ele era o “Justo vindo do Deus”.

c) Juízo: Jesus falou a respeito de Satanás, que já havia sido julgado e sentenciado a condenação eterna (Jo 16.11). Concluímos com isso, que Satanás nosso inimigo quer levar consigo o mundo inteiro para a mesma condenação. Mas para aqueles que ouvem a voz do Espírito Santo, e aceitam a Jesus como seu Salvador, não serão condenados (Rm 8.1). Pois o próprio Cristo entregou-se na Cruz, e com seu sangue apagou todos os nossos pecados, e agora todos estamos livres desse juízo.

Regeneração: Regeneração é a forma espiritual e instantânea que o Espírito Santo usa para trabalhar no homem que recebe a Jesus, dando-lhe uma vida nova. Resumindo, o homem “recebe uma vida nova pelo Espírito”.

Textos para memorização:

· “se alguém não nascer de novo, não pode ver o Reino de Deus”. (Jo 3.3)
· “todo aquele que é nascido de Deus não vive na prática do pecado”. (1Jo. 3.9)
· “Em verdade, em verdade te digo, quem não nascer da água e do Espírito não pode entrar no Reino de Deus. O que é nascido da carne é carne, o que é nascido do Espírito é espírito”. (Jo 3.5-6)
· “…se alguém está em Cristo, nova criatura é, e as coisas antigas já se passaram, eis que tudo se fez novo”. (2Co. 5.17)

Justificação: Já regenerado, o homem é automaticamente justificado. Pois Deus o vê, de agora em diante, puro e justificado como se jamais tivesse cometido pecado. Como é que alguém que sempre está pecando pode se apresentar puro diante de Deus? Isso acontece pelo sangue poderoso e carmesim de Jesus Cristo. Pelo sangue, a dívida do homem está paga diante do Senhor. E o Espírito Santo atua decisivamente no interior do homem, lhe assegurando essa quitação de dívida, por meio do sacrifício vicário de Jesus. E como Promotor da Justiça, o Espírito diz “Agora, nenhuma condenação há para os que estão em Cristo Jesus, que não andam segundo a carne, mas segundo o Espírito” (Rm 8.1).

Santificação: A santificação é o processo pelo qual o Espírito de Vida leva o pecador arrependido a renunciar este mundo tenebroso, e viver separadamente para Deus. É um processo que desenvolve a purificação no homem, ás vezes lentamente, porém muito eficiente. O Espírito Santo vai “deportando” as bagagens como: sujeiras, costumes, que o pecador trás consigo deste mundo, e o ensina a viver em novidade de vida, até que chegue a ser varão perfeito diante do Senhor.

“Segui a paz com todos, e a santificação, sem a qual ninguém verá o Senhor” (Hb 12.14). E o Espírito completará essa obra em nós, quando for transformados os nossos corpos fracos em corpos de glória, no dia do arrebatamento. Mas até que chegue esse dia, temos o compromisso de nos esforçar e com Seu auxílio, nos santificar.

O Batismo no Espírito Santo

Habitação e Poder:

Como parte do rol das grandes doutrinas (verdades) bíblicas, o Batismo no Espírito Santo, para muitos tem sido um assunto polêmico, e aceito de maneiras diferentes pelas diversas Comunidades ( Igrejas ). Na verdade, o Batismo no Espírito Santo, é dado espontaneamente pela graça a todos os que professam sua fé no Filho de Deus. Assim como o batismo nas águas, que significa imersão, para os cristãos que recebem o batismo no Espírito Santo, também significa ser imerso nas águas do Seu Poder. (Atos 1.5-8). Esse Batismo, é na verdade a “Habitação Plena e Vitalizante” do Espírito de Deus que emana poder capacitando o crente a fazer a obra do Senhor.

“O batismo no Espírito Santo é uma obra diferente e a parte da regeneração, também por Ele efetuada. Assim como a obra da santificação é diferente e completiva em relação à obra regeneradora do mesmo Espírito, assim também o batismo no Espírito complementa a obra regeneradora e santificadora”.

Pode alguém ser cheio do Espírito Santo, e não ter falado noutras línguas? A resposta é sim. O Novo Testamento, ensina que a pessoa não pode ser filho de Deus sem ter o Espírito, ou seja, ter a habitação do Espírito. “se alguém não tem o Espírito de Deus, esse tal não é dele” (Rm 8.9).

Não devemos confundir. O batismo no Espírito Santo não é essa “atuação” que vem sob o homem que aceita a Cristo. Mas é a Plena Habitação, que libera “Poder” para pregar o Evangelho. Essa habitação plena e contínua do Espírito Santo sobre o homem, reveste-o de poder, para falar em outras línguas. (Atos 2.4). Por ocorrer uma só vez na vida do crente, o batismo no Espírito Santo deve ser acompanhado em oração, santificação, e deve ser sempre renovado e conservado (Ef 5.18).

Falar em outras línguas: (evidência inicial)

“E todos foram cheios do Espírito Santo, e começaram a falar em outras línguas, conforme o Espírito santo lhes concedia que falassem” (Atos 2.4).

O falar em línguas, para nós pentecostais, faz parte da evidência inicial do Batismo no Espírito Santo. Com base nas Escrituras, em especial no livro de Atos dos Apóstolos. Esse revestimento é uma sobrenatural atuação do Espírito, que inspira o homem a falar em línguas que nunca aprendeu. É o Dom que vem sobre os servos de Deus fazendo-os alcançarem o êxtase numa adoração perfeita.

O Espírito insta a falar não só em línguas celestiais, mas também humanas (Atos 2.6).

“O falar em outras línguas, era o dom mais conspícuo e popular dos primeiros anos na igreja. Parece que foi o acompanhamento regular da descida do Espírito Santo sobre os crentes”. Diz Rees.

Pode alguém falar em línguas e não ser cheio do Espírito? Sim, porque o falar em línguas não é uma evidência irrefutável que comprova a presença do Espírito Santo. E mesmo porque, a Bíblia nos adverte a ter cuidado com os falsos e mentirosos(1Tm. 4.12), que infelizmente estão no meio do povo de Deus, disfarçados, dizendo que são cheios do poder de Deus, e na verdade não são.

Como receber o batismo:

· através da oração, (Atos 1.14)
· por intermédio de Jesus. (Jo 1.33; Mt. 3.13-14)

O batismo no Espírito é:

· uma promessa; (Joel 2.28-30)
· um revestimento de poder, (Mc. 16.17-18)
· uma necessidade. (Atos 19.6)

Os Frutos do Espírito

“andai em Espírito e não cumprireis as obras da carne, … mas o fruto do Espírito é caridade, gozo, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fé, mansidão e temperança. E contra essas coisas não há lei” (Gl 5.16,22-23)
Para alguns escritores famosos como Jr Winllians, o fruto do Espírito também é parte da evidência contínua do batismo o Espírito Santo. Já para outros; pentecostais, essa idéia não pode ser comprovada, quando ainda permite muitas dúvidas. Contudo, o fruto do Espírito, mesmo que não seja uma evidência inicial e contínua do batismo no Espírito, deve fazer parte na vida daqueles que servem ao Senhor.

a) Caridade: (gr. Ágape). Amor verdadeiro e único de Deus. (Jo 3.16)

b) Gozo: (gr. Chara). Alegria baseada nos resultados do perdão de Deus. (1Pe. 1.8)

c) Paz: (gr. Eirênê). Tranqüilidade interior acima de qualquer circunstância. (Rm 5.1)

d) Longanimidade: (gr. Makrothumia). Possuindo um espírito paciente e perseverante. (Ef 4.2)

e) Benignidade: (gr. Chêrstotês). Ser movido por boas intenções. (1Co. 13.4; Cl. 3.12)

f) Bondade: (gr. Agathõsunê). Que pratica atos bons. (Lc 7.35-50)

g) Fé: (gr. Pitis). Fidelidade constante. (1Tm.6.12; 2Tm. 2.2)

h) Mansidão: (gr. Prautês). Ter controle absoluto nas situações adversas; fala também da quietude. (Mt 11.29)

i) Temperança: (gr. Egkrateia). Equilíbrio; moderação, domínio sobre os próprios desejos. (1Co. 7.9; Tt 1.8)

Os Dons Espirituais

O Senhor Jesus é dádiva de Deus ao mundo. Ele oferece tudo o que a humanidade pecaminosa necessita para ser justificada diante de Deus Pai. O Espírito Santo é dádiva do Pai e do Filho a todo crente. E Ele oferece todas as condições para uma vida frutífera, próspera, e um testemunho poderoso. Por isso, devemos entregar nossa vida a Ele; e assim, seremos revestidos de Poder (Atos 2.4). E faremos parte de uma igreja que se desenvolve com a atuação dos Seus dons, pela Sua orientação.

Natureza dos Dons

Os dons do Espírito são repartidos aos crentes para edificação do Corpo de Cristo. Eles formam a base do crescimento espiritual e capacita o crente para o serviço do Senhor. Seu exercício é importante, tanto na adoração, como na edificação da igreja. E não provoca confusões na Casa do Senhor.

Os dons são de natureza espirituais, são também dados aos santos, pela manifestação do Espírito (1Co.12.7) “… mas a manifestação do Espírito é dada a cada um para o que lhe for útil”. E à medida que são usados na igreja conforme os princípios bíblicos, a igreja local se encaminha para uma unidade e maturidade maiores. Vivenciando o verdadeiro crescimento espiritual.

O Apóstolo Paulo escreveu uma relação aos irmãos da igreja de Corinto, a respeito dos dons espirituais, separando-os em nove. (1Co. 12.1-11). Isso devido às confusões que havia naquela igreja a esse respeito. Eles (os dons) devem ser avaliados sistematicamente em três grupos na seguinte ordem:

1) Dons de Revelação

a) Palavra da Sabedoria;
b) Palavra de Conhecimento,
c) Discernimento de espíritos.

2) Dons de Poder

a) Fé;
b) Dons de Curar,
c) Operação de Maravilhas.

3) Dons de Inspiração

a) Profecia;
b) Variedades de Línguas,
c) Interpretação de Línguas.

1) Dons de Revelação:

a) Palavra da Sabedoria: A palavra da sabedoria é aquela que capacita o crente resolver as questões mais difíceis desta vida. Capacita a interpretar sonhos, visões e, aconselhar sabiamente. É uma capacidade sobrenatural que proporciona um perfeito entendimento e grande habilidade para sanar os mais diversos problemas que se possam existir (Leia Tiago 1.5; 3.17; e 1Co. 2.6-8). Isso prova que a nossa vida cristã não depende da sabedoria humana. E sim, da Sabedoria que vem do alto. Veja o que Jesus predisse a esse respeito aos seus discípulos: “Proponde em vosso coração não premeditar como haveis de responder, porque eu vos darei boca e sabedoria, à que não podereis resistir” (Lc 21.14-15). “Pois não sois vós quem falará, mas o Espírito de vosso Pai é que fala em vós” (Mt 10.20).

b) Palavra de Conhecimento: É o dom que dá ao crente habilidade de governar bem os fatos, acontecimentos, em sua mensagem local. Algo que uma pessoa natural não consegue realizar. É considerado também como uma revelação profética. Não é adivinhação, fenômeno psíquico, preceptivo ou telepático (Dt 8.9-12). Qual a diferença entre a Palavra da Sabedoria e Palavra de Conhecimento (Ciência)? Resposta: “A ciência é o conhecimento profundo, ou melhor, a compreensão das coisas divinas; a Sabedoria é o conhecimento prático, ou a habilidade que ordena e regula a vida de acordo com os seus princípios fundamentais”.

c) Discernimento de espíritos: Esse é o dom que capacita em especial os líderes da igreja (Obreiros), a reconhecer os motivos por detrás do que certas pessoas fazem ou dizem. Em especial, julgar corretamente as profecias, e saber se uma mensagem provém de Deus ou não. Ajuda os santos a separar “o verdadeiro do falso, o puro do impuro, o santo do pecador”.

Exemplos de homens que receberam essa manifestação:
· Eliseu – Antigo Testamento; (2 Reis 5. 20-27)
· Pedro, (Atos 5.1-11)
· Paulo. (Atos 16.16-18)

Nota: Isso não quer dizer, que o líder ou qualquer outra pessoa que seja portador desse dom, deva sair procurando por alguém, e julgá-la de que espírito é, se verdadeiro ou falso…

2) Dons de Poder

a) Fé: não se trata aqui da fé que salva. Mas daquela fé milagrosa, que deve ser usada em momentos específicos. É a Fé capaz de mover montanhas (1Co. 13.2). Ela capacita o portador a operar grandes milagres, em nome do Senhor.

Quatro tipos de Fé.
1) Fé natural; (1Co. 15.44)
2) Fé salvadora; (Atos 16.31)
3) Fé – dom, (1Co. 12.9)
4) Fé – fruto. (Gl 5.22)

b) Dons de curar: São os dons que o Espírito Santo usa para reintegrar a saúde física do homem. “Quanto aos dons de curar, Deus não os concede aos que precisam ser curados, na maioria das vezes. Mas dá as pessoas que Ele usa a fim de curar os enfermos”. São concedidos para sanar o sofrimento humano, e só podem ser exercitados por meio do nome de Jesus Cristo.

Exemplos de algumas curas no Novo Testamento:

· O servo do centurião romano; (Mt 8.2-4)
· O paralítico do tanque de Betesda; (Jo 5.1-9)
· O menino endemoninhado; (Mc. 9.17-29)
· Uma mulher paralítica; (Lc 13.11-13)
· Um coxo curado; (Atos 3.9)
· Enéias curado; (Atos 9.33-35)
· A cura de Elímas; (Atos 3.8-10)
· Cura do pai de Públio, (Atos 28.7-9)
· A cura de um coxo. (Atos 14.8-10)

c) Operação de Maravilhas: É o dom que intervém na lei da natureza, quebrando as barreiras. É o Dom que produz acontecimentos de poder, uma atuação fora do comum. Exemplo: Paulo Atos 19.11.

3) Dons de Inspiração:

a) Profecia: Falar profeticamente com a propriedade do dom é falar aos homens com o propósito de edificar, exortar, consolar (1Co14.3). É considerada uma manifestação extática que capacita o crente a falar uma mensagem de maneira espontânea, numa linguagem conhecida a quem ela é dirigida.

b) Variedades de Línguas: Esse dom dá ao seu portador a habilidade de falar línguas nunca aprendidas por métodos naturais. Em Atos 2.4-5, vemos que a manifestação desse dom leva o crente ao seu crescimento espiritual (1Co. 14.4). Conduz o crente a uma adoração perfeita e espiritual para Deus, até mesmo com cânticos espirituais.

c) Interpretação de Línguas: Fala da capacidade concedida pelo Espírito Santo, para que se possa transmitir o significado de uma mensagem dada em línguas que seja desconhecida. É o dom que completa o dom de variedades de línguas. Na maioria dos casos, o próprio mensageiro fala em línguas, e interpreta-as para a igreja.

Como receber os dons do Espírito?
· A oração é o primeiro passo.
· Estar unido com a igreja.
· Viver no Espírito.
· Purificar a mente pelo Espírito.
· Ser exemplo dos fiéis.
· Ser controlado pelo Espírito.
· Não ser menino espiritual.
· Não se sentir superior aos outros.

Pecados contra o Espírito Santo

Veja uma lista de pecados contra o Espírito de Deus. Nós não podemos:

a) Tenta-lo; (Atos 5.9)
b) Abafá-lo; (1Tes. 5.19)
c) Entristecê-lo; (Ef 4.30)
d) Vexá-lo; (Is 63.10)
e) Resistir-lhe; (Atos 7.51)
f) Mentir-lhe; (Atos 5.3-4)
g) Desprezá-lo; ( Hb 10.29)
h) Desvalorizar seus dons, (Atos 8.19-20)
i) Brincar com seu Poder. (Hb 6.4-6)

O Pecado Imperdoável

A Blasfêmia:

É a palavra que transgride e ofende a divindade. Relacionada a pessoa do Espírito Santo, o blasfemo (aquele que blasfema), não alcança o perdão de Deus. Porque o Espírito de Deus é sensível.

“Se alguém falar alguma palavra contra o Filho do Homem, ser-lhe-á isso perdoado, mas se alguém falar contra o Espírito Santo, não lhe será isso perdoado, nem neste mundo nem no porvir” (Mt 12.32). Leia também (Mc. 3.29; Lc 12.10; 1Jo. 5.16).

O Espírito Santo e o Ministério da Oração

A Natureza da Oração:
Sem dúvida, a oração é uma das atividades mais importantes na vida cristã. A Bíblia ensina que devemos orar sempre (Mt 26.41). A oração é uma arma poderosa que nos ajuda a vencer todas as nossas dificuldades.
Orar é comunicar-se com Deus, é invocar o nome do Senhor. É falar e ser ouvido por Deus. É também se prostrar diante do altar do Senhor com confiança. Leia (Sl 3.4;17.6; Hb 10.22).

Orando no Espírito
Toda oração deve ser dirigida ao Pai (Mt 6.9), em nome de Jesus Cristo (Jo 16.23-24), no poder do Espírito (Jd 20). Quando nos dirigimos a Deus, devemos orar com sabedoria, pedindo que realize Sua vontade e não a nossa (Mt 6.10).
A Bíblia nos ensina que devemos orar “em todo tempo com toda oração e súplica no Espírito” (Ef 6.18). E que não devemos pensar, que quando oramos, estamos sozinhos. Pois não estamos, o Espírito Santo está conosco. É Ele que nos incita a orar, e faz da nossa oração poderosa e perfeita diante do nosso Pai. Essa oração no Espírito é mencionada várias vezes nas Escrituras (Ef 6.18; Jd 20; Rm 8.26-27).
O Espírito Santo tem atuado como intercessor de nossas vidas aqui na terra (Rm 8.26-27). Assim como o Senhor Jesus Cristo também o tem feito no céu (Hb 7.25).
Já aprendemos que o Espírito Santo veio para o mundo a fim de dar “assistência / auxílio” para a igreja do Senhor. Nós somos essa igreja, então, quando oramos, devemos crer nisso; crer que temos o Seu auxílio divino. Tudo porque não sabemos como convém orar.

“Cobiçais e nada tendes, matais, invejais, e nada podeis obter; viveis a lutar e a fazer guerras. E nada tendes porque não pedis; pedis e não recebeis, porque pedis mal para esbanjares em vossos prazeres” (Tg 4.2-3).

“Também o Espírito semelhantemente, nos assiste em nossas fraquezas, porque não sabemos orar como convém, mas o mesmo Espírito intercede por nós sobremaneira, com gemidos inexprimíveis. E aquele que sonda os corações sabe qual é a mente do Espírito, porque segundo a vontade de Deus é que Ele intercede pelos santos” (Rm 8.26-27).
A experiência com o Espírito Santo na oração, faz dos servos do servos do Senhor, verdadeiros adoradores. Derramando os seus corações perante Deus, permitindo que realize Sua vontade em todo o tempo.

“Condições para Oração”

a) Devemos orar ao Pai; (Mt 6.8-9)
b) Em nome do Senhor Jesus; (Jo 14.14)
c) Devemos orar crendo; (Mt 21.22)
d) Segundo a Sua vontade; (1 Jo 5.14)
e) Estar sempre ligados em Jesus, (Jo 15.7)
f) Devemos orar No Espírito. (Jd 20)

“Pelo que devemos Orar ?”

a) Para honra e santificação do nome do Pai; (Mt 6.9)
b) Para que venha o Seu Reino (Mt 6.10)
c) Para que Sua vontade seja feita; (Mt 6.10)
d) Por proteção contra o mal; (Mt 6.13)
e) Por nossas necessidades; (Mt 6.11)
f) Por sabedoria divina; (Tg 1.5)
g) Pelo poder do Espírito Santo; (Atos 1.11; 2.1; Lc 11.13)
h) Pela plenitude da igreja; (Jo 16.24)
i) Pelos enfermos e para ressurreição dos mortos; (Atos 9.40)
j) Pela vida da humanidade, (1 Tm 2.1)
k) Por uma vida tranqüila e piedosa. (1 Tm 2.2)

O Espírito Santo e Missões

“Ide por todo mundo, pregai o Evangelho a toda criatura, quem crer e for batizado será salvo, mas quem não crer será condenado” (Mc 15.15-16).

“Eis que envio sobre vós a promessa de meu Pai, ficai porém na cidade de Jerusalém, até que do alto sejais revestidos” (Lc 24.49).

“Mas recebereis a virtude do Espírito Santo, que há de vir sobre vós e ser-me-eis testemunhas tanto em Jerusalém, como em toda a Judéia, Samaria e até os confins da terra” (Atos 1.8).

Concluímos nesses versos, que o “Poder do Espírito Santo” é à base da Evangelização. Com a ascensão do Senhor Jesus (Atos 1.9-11), os seus discípulos foram para Jerusalém e lá esperaram pela promessa do Consolador (Atos 1.16). A promessa era o sinal verde para começarem a pregar o Evangelho Pleno. Eles receberiam o Espírito que convence o mundo do pecado, da justiça, e do juízo. Então, não poderiam sair daquele Cenáculo, sem primeiro receberem esse “poder convencedor” que é dado pelo mesmo Espírito.

Diz Byron D. Klaus: “Quando o Espírito Santo vem sobre nós, e nos usa como seus instrumentos; esse é o poder que convence homens e mulheres e os leva a ver que servir a Jesus é realidade”.

Missões, é na verdade, o cumprimento do “ide” de Jesus. Por isso deve ser feito pela orientação do Espírito. Missão sem o poder do Espírito Santo, é como um automóvel sem o seu motor, insuficiente e incapaz de se locomover; é como uma flor sem as suas pétalas, “sem vida e deformada” ! a presença do Espírito é a única fonte de Poder para o cumprimento da “Grande Comissão” , e para confirmação do pleno evangelho de Jesus Cristo.

É o Espírito Santo quem orienta quando e como realizar missões !

Uma grande nota para quem quer ser um missionário:

Você já reparou num semáforo?

· – vermelho – Proibida passagem
· – amarelo – Freie / Pare
· – verde – Siga em frente

Agora observe o seu significado:

· – Vinde (Mt 11.28) – Primeiro deve aceitar Jesus. Não pode ir.
· – Ficai (Lc 24.49) – Espere por ser revestido pelo poder do Espírito.
· – Ide (Mc 16.25; Atos !.8) – Agora, já revestido, seja um Missionário!

Esse é o processo que Deus usa para fazer de você um grande missionário. Primeiro deve vir para o evangelho, para ser salvo; em seguida deve ficar na igreja até que seja revestido do poder do Espírito Santo, e por último, você deve “ir” porque agora já está aprovado para pregar o evangelho.

O Senhor nos alertar a trabalhar espontaneamente enquanto é dia, pois vem a noite, quando ninguém mais poderá trabalhar (Jo 9.4). O tempo está curto, a vinda do Senhor está próxima; as oportunidades para pregar o evangelho não durarão por muito tempo. Por isso o Senhor lhe convida a ser um semeador com urgência. Então o que dirás ao Senhor? Diga o que disse o profeta Isaías “Eis me aqui, envia-me a mim” (Is 6.8).

O Amigo Espírito Santo

O Espírito Santo é o companheiro amigo, de todo tempo, que foi enviado por Deus. Um Amigo Verdadeiro que conhece as nossas fraquezas e nos conforta. A Sua presença nos torna vencedores, nos faz alcançar uma maior revelação do Salvador. Esse é o Seu propósito, fazer da nossa vida semelhante à de Cristo.

Como você pode conhecer esse Amigo se não o pode vê-lo? Talvez não o possa vê-lo, mas pode senti-lo; assim como não pode ver ao vento que assopra fortemente sobre uma árvore, ou sobre você, mas pode senti-lo. Essa convicção de que o vento existe, e que também não podemos vê-lo, também é válida para o Amigo Espírito Santo. E quando vem sobre nós, Ele conforta, anima, ensina.

“Recebendo o Amigo”:

Você pensa, será que o Espírito pode vir sobre mim? Se eu sou tão fraco, … pecador, … como? Sim. Ele pode vir sobre ti; mesmo que sejas fraco, mesmo que seja um pecador! Na realidade, é por isso mesmo que vem sobre ti, para te tornar forte, purificado, perfeito para Deus Pai. O seu amor é espontâneo e gratuito (Rm 5.5). Para que receba esse Amigo, se faz necessário somente abrir seu coração. E então, quando você orar ao Pai, Ele virá sobre sua vida como uma fonte de água inesgotável. Só precisa realmente se abrir, se entregar a Deus, se humilhar… ! Tenha certeza que ao fazer isso, logo o Espírito Santo, o grande Amigo, estará sobre sua vida.

“O Espírito Santo quer”:

Ele quer ser seu Amigo. Quer fazer cumprir através de você, o plano de Deus com relação ao crescimento do Reino, produzir justiça, poder, e salvação para o interior dos homens.
Não a peça amanhã, pois melhor é começar senti-lo agora. E então, amanhã você vai querer mais, … mais do Espírito Santo. Jesus por certo aumentará essa comunhão de dia em dia. O mundo não pode conhecer ao Espírito; mas você pode, creia nisso!

Conclusão
Para nós os cristãos, o Espírito Santo é o Deus Verdadeiro que habita sobre nossas vidas produzindo alegria à paz constante. Ele sempre vai estar em nós. Sabemos que o seu ministério com relação à preparação da Igreja vai se findar no dia do arrebatamento. Porém, a promessa de Jesus, é que sempre Ele vai estar conosco, mesmo na eternidade. Glória a Deus!
O Espírito Santo quer estender a sua atuação poderosa sobre toda humanidade. E fará isso através de você, através de mim. Portanto, devemos nos entregar a Ele em oração. Porque através do Seu poder, fará cumprir todas as divinas promessas do Senhor em nossa vida.

“A graça de nosso Senhor Jesus Cristo, e o amor de Deus, e a comunhão do Espírito Santo sejam com todos. Amém”. (2 Co 13.13)

moisescarneiro@ig.com.br
moisescarneiro@hotmail.com

Compartilhe a BênçãoShare on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someonePrint this page

Contribua com sua opinião