A Ressurreição

Por David E. Pratte

Jesus “foi designado Filho de Deus com poder … pela ressurreição dos mortos” (Romanos 1:4). A ressurreição é a prova de Deus de que Jesus é seu Filho. É o maior de todos os milagres, no sentido de que, se aceitarmos este, todos os outros milagres da Bíblia são fáceis de aceitar. Mas se rejeitarmos a ressurreição, os outros milagres não importariam já que não podemos ser salvos se rejeitarmos a ressurreição (veja Romanos 10:9-10; João 20:28-31).

A. Os fatos envolvidos na morte de Jesus

Leia 1 CORÍNTIOS 15:3-8.

19. O que Paulo pregou sobre Jesus?

A. Ele morreu.

B. Ele foi sepultado.

C. Ele ressuscitou.

D. Ele apareceu a muitos.

E. Todas as alternativas.

Os relatos dos quatro Evangelhos confirmam os seguintes fatos. Lembre-se que a Bíblia, historicamente, é confiável. Praticamente todos reconhecem estes eventos como verdadeiros.

Jesus foi açoitado, pregado numa cruz e perfurado com uma espada.

Soldados romanos examinaram seu corpo para ter certeza de que ele estava morto.

Seus discípulos embalsamaram seu corpo e colocaram-no no túmulo de José de Arimatéia.

Os judeus selaram o túmulo e colocaram soldados para guardá-lo.

Três dias depois, o corpo não estava lá.

Muitas pessoas afirmaram que haviam visto Jesus vivo novamente.

Os discípulos começaram a pregar que sua ressurreição provava que ele era o Cristo (Atos 1:3; 2:24-36; 3:15, etc.).

Qualquer explicação dada para estes eventos deve levar em conta todos os fatos. Especialmente uma pessoa deve explicar o túmulo vazio e o depoimento de testemunhas oculares daqueles que afirmaram terem visto Jesus vivo. (Leia os relatos em Mateus 27-28; Marcos 15-16; Lucas 23-24; João 18-21 e Atos 1.)

B. Explicações possíveis para as provas

1. A teoria que os discípulos roubaram o corpo.

Os soldados foram pagos para dizerem isso (Mateus 28:11-15), mas considere o seguinte:

Isso inclui homens testificando sobre o que aconteceu enquanto dormiam! Porque devemos aceitar isso como um depoimento válido?

Como os discípulos se livraram dos guardas que estavam lá para evitar que o corpo fosse roubado? Obs.: o castigo por perder um prisioneiro, principalmente se dormisse em serviço, era a morte (veja Atos 12:19; 16:27). Se isso tivesse acontecido mesmo, eles teriam admitido?

Qual motivo os discípulos teriam para fazer isso? Foram perseguidos e a maioria morreu por pregar a ressurreição. Nenhum deles obteve poder, riqueza ou prazer. No entanto não negaram seu depoimento sobre a ressurreição. Por que fariam isso se soubessem que era uma mentira?

Como isso explica as aparições pessoais do corpo, principalmente a inimigos e duvidadores como Saulo de Tarso (Atos 9) e Tomé (João 20:26-29)?

2. A teoria de que Jesus na verdade não morreu mas apenas “desmaiou” na cruz e depois se recuperou no túmulo.

Como isso explica o depoimento dos soldados romanos, do centurião e dos discípulos que embalsamaram Jesus, todos dizendo que ele estava morto (João 19:32-34,38-42; Marcos 15:44-45)?

Jesus foi açoitado, crucificado e perfurado com uma espada. Ele ficou três dias num túmulo sem comida, água ou remédio. Como ele poderia despertar, tirar a pedra enorme, livrar-se dos guardas, andar a extensão da Palestina e ainda aparecer saudável o suficiente para convencer seus discípulos cépticos de que havia ressuscitado? Isso seria um milagre quase tão grande quanto a ressurreição em si!

O caráter de Jesus permitiria isso? Lembre-se, isso faria dele um mentiroso e blasfemador.

3. A teoria de que os discípulos tiveram “delírios” e apenas imaginaram que viram Jesus vivo depois da crucificação.

O que aconteceu com o corpo? Esta teoria significaria que o corpo ainda estaria no túmulo onde os inimigos poderiam mostrar para desmentir as afirmações da ressurreição.

Os discípulos estavam num estado de espírito para delirarem? As pessoas que deliram vêem aquilo que esperam ver, mas os discípulos não esperavam ver Jesus vivo novamente. Eles nem acreditaram quando viram (Marcos 16:11-14; Lucas 24:11). O incrédulo Tomé e o descrente Saulo deliraram também?

Como isso explica o número e a natureza das aparições? Como tantas pessoas poderiam ter o mesmo delírio, sendo muitas delas ao mesmo tempo? O tom é real e histórico. As testemunhas viram, ouviram e tocaram o corpo (Lucas 24:39; João 20:26-29).

Nenhuma destas teorias cabe nas provas. O único veredicto razoável é que Jesus si apresentou vivo “com muitas provas incontestáveis” (Atos 1:3). Ele realmente ressuscitou dos mortos. Por isso, ele é verdadeiramente o Filho Divino de Deus, assim como ele afirmou.