A Páscoa

Autor: Carlos Alves

1. A Páscoa e o crente

A primeira Páscoa, celebrada pelo Povo de Israel naquela inesquecível noite da morte dos primogénitos egípcios, trouxe-lhes uma autêntica libertação e o novo sistema de vida. A partir de então,

Deus liberta-os poderosamente das garras de Faraó e, levantando Moisés, guia-os pelo deserto, sustentando-os, protegendo-os e disciplinando-os.

Páscoa, em hebraico pesah, significa passar por cima. Assim, naquela noite, o anjo da morte passou por cima de todas as casas israelitas cujo sangue do cordeiro tinha sido aspergido nas ombreiras e vergas das portas (Êxodo 12:7,13).

O mês de Abibe, posteriormente chamado Nisan, no qual foi celebrada a Páscoa, passou a ser o primeiro mês do calendário judaico (Ex. 12:2, Dt. 16:1).

Para o crente, CRISTO é a sua páscoa (1Cor. 5:7). O nosso Senhor Jesus Cristo é o Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo (João 1:29). E só o sangue de Jesus Cristo nos purifica de todo o pecado (1João 1:7). Tanto a Páscoa antiga dos israelitas, como agora a morte de Cristo, aponta-nos para o juízo de Deus, o pecado do homem, o valor do sangue e a importância da fé.

2. O Juízo de Deus contra o pecado do Homem

O pecado sempre foi odioso aos olhos de Deus. Sabemos o que aconteceu aos nossos primeiros pais quando pecaram no Éden. O pecado multiplica-se e Deus envia o dilúvio. Mais tarde, Deus tem de destruir as cidades de Sodoma e Gomorra. Nos nossos dias, vemos por todo o mundo os efeitos do pecado em guerras, fomes, doenças, refugiados, crianças sem lares, jovens viciados e delinquentes, roubos e prisões superlotadas. O salário do pecado é a morte (Rom. 6:23). A ira de Deus é contra os que fazem mal e ao homem está ordenado morrer uma vez, vindo depois disso o juízo (Hb 9:27).

3. O valor do sangue e a importância da fé

Os israelitas tinham que derramar o sangue do cordeiro nas ombreiras e vergas das portas. Naquela noite, o primogénito de cada casa seria morto onde não houvesse sangue. Também o sangue de Cristo foi derramado na cruz pelos nossos pecados. O Senhor Jesus Cristo morreu por todos e derramou o Seu sangue por todos os pecadores, mas precisamos de crer Nele. Precisamos de confiar em Cristo e no Seu sangue vertido. Sem fé, não pode haver perdão. Pela graça sois salvos, por meio da fé (Ef. 2:8).

Há mais um pormenor sobre a Páscoa, assim como para a morte de Nosso Senhor Jesus Cristo. É a sua comemoração. Todos os israelitas comemoravam a Páscoa todos os anos (Ex. 12:42). E o crente deve comemorar a morte do Senhor até que Ele venha (1Cor. 11:23-30).

A Igreja primitiva celebrava a Ceia do Senhor no primeiro dia da semana (At. 20:7). O crente fiel e dedicado tem prazer em se reunir com seus irmãos para adorar o Seu Senhor à volta da mesa. É ali que todos devem cantar louvores, adorarem e bendizerem Aquele que tanto nos amou e deu a Sua preciosa vida por nós e nos lavou com Seu precioso sangue. Uma igreja que assim procede é uma igreja querida, amada e abençoada pelo Senhor.

 

www.sermao.com.br

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*